QUAIS OS CUIDADOS QUE SE DEVE TER NA COMPRA DE UM IMÓVEL RURAL

QUAIS OS CUIDADOS QUE SE DEVE TER NA COMPRA DE UM IMÓVEL RURAL

Produtores rurais e investidores do agronegócio, ATENÇÃO!!! Se alguns cuidados não forem tomados previamente, pode ser que a aquisição se torne uma “enorme dor de cabeça”.

Comprar um imóvel rural é muito além do que olhar a área, combinar o preço e a forma de pagamento. Diversas vezes, lamentavelmente, alguns Corretores de Imóveis, visando apenas fechar o negócio e ganhar a sua comissão, preocupam-se em dizer a localidade da propriedade, qual o valor e quais as condições de pagamento ofertadas pelo vendedor. Geralmente o que fazem é levar o cliente até a área, falar os pontos positivos e fazer o “meio de campo” para concretizar a negociação. É aí que se deve ter cuidado!

Empreender no agribusiness é uma ciência complexa, não no sentido de ser difícil, mas na amplitude da atividade. Arrisco a dizer que, com certeza, somente um artista consegue desempenhar referido papel. Deste modo, os artistas rurais precisam estar amparados por profissionais eficientes, sejam Agrônomos, Médicos Veterinários, Zootecnistas, Corretores de Imóveis, Contadores, Advogados, Administradores, Funcionários, etc. Todos essenciais para garantir que a atividade rural seja exercida com maestria.

Abaixo, 03 (três) passos a serem adotados, caso você esteja interessado em adquirir uma propriedade rural:

1º – Primeiramente, é necessário fazer o levantamento de alguns documentos, quais sejam:

  • Certidão da matrícula do imóvel perante o competente Cartório de Registro de Imóveis;
  • Situação ambiental da propriedade (Áreas de Preservação Permanente, Reserva Legal, Georreferenciamento, CAR – Cadastro Ambiental Rural, etc);
  • Consulta jurídica para averiguar se o imóvel está vinculado em pendências perante as Justiças Comum, Federal e do Trabalho e;
  • Consulta jurídica nos mesmos Tribunais acima, para verificar se o(s) vendedor(es) da área possui(em) ações judiciais nas quais o imóvel possa vir ser vinculado a elas.

2º – Quando tiverem todas essas informações em mãos, os próprios compradores/investidores, auxiliado por profissionais de sua confiança (Corretor de Imóveis e Advogado), ponderando todas as condicionantes, estudarão a viabilidade do negócio.

3º – Por fim, após todos os cuidados tomados durante a negociação e decidindo pela aquisição, é hora de selar o negócio, isto é, assinar o contrato. Aliás, esta fase é tão importante quanto a primeira! No dia a dia, percebemos que os produtores rurais e investidores do agronegócio acabam valendo-se de modelos de Contratos de Compra e Venda apanhados na internet, até mesmo redigidos por profissional não capacitado a resguardar seus direitos, pois acreditam piamente que todas as partes cumprirão com o combinado, e que não haveria a necessidade de arcar com o custo da elaboração deste instrumento por um advogado especializado. Todavia, na prática perante os Tribunais, é cada vez mais evidente que tal “economia” transforma-se em um prejuízo muito maior. ORA, É JUSTAMENTE NOS TERMOS DE UM CONTRATO QUE SE PROCURA RESGUARDAR OS DIREITOS DE AMBAS AS PARTES! E ISSO SE DÁ ATRAVÉS DE BONS PROFISSIONAIS. TÊ-LOS AO SEU DISPOR, É INVESTIR NO SEU PATRIMÔNIO, POIS TERÁ A TRANQUILIDADE DE JÁ SABER O QUE PODE ACONTECER, CASO QUALQUER UMA DAS PARTES DESCUMPRA OS TERMOS DE UM CONTRATO!

Portanto senhores, produtores rurais e investidores do agronegócio, quando forem realizar aquisições de propriedades rurais, procurem profissionais que tenham conhecimento técnico e que hajam com transparência, ética, eficiência e discrição.

Até a próxima. Que Deus abençoe-nos. Abraço!

Escrito por

Guilherme Machado

WeCreativez WhatsApp Support
Nosso Time Está Aqui Para lhe Orientar!
Precisa de Orientação Jurídica?